Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Pesquisa com mineral brasileiro para ser aplicado como detector de radiação é publicado em revista de impacto internacional

Publicado: Segunda, 20 de Julho de 2020, 13h39 | Última atualização em Quarta, 05 de Agosto de 2020, 11h39

A revista é uma das mais prestigiadas na área de Luminescência de Sólidos por publicar somente artigos que apresentam resultados inéditos e de alto interesse para a comunidade científica.

neilo

O aluno da Licenciatura em Física, Matheus C. S. Nunes, com orientação do professor doutor Neilo M. Trindade, e com a colaboração de pesquisadores da USP, UNIFESP, UTFPR e Clemson University (USA), tiveram o artigo “Characterization of the optically stimulated luminescence (OSL) response of beta-irradiated alexandrite-polymer composites” aprovado no Journal of Luminescence, da plataforma ELSEVIER. 

O professor Trindade explica a importância desse trabalho “O Brasil está entre os grandes produtores do setor mineral no mundo assim como é um dos maiores produtores de alexandrita (BeAl2O4:Cr3+), principalmente nos estados de Minas Gerais, Bahia e Espírito Santo. Nesse trabalho, o objetivo inicial foi produzir pastilhas de alta resistência, impermeabilidade, flexibilidade e que fossem extremamente finos, e isso foi alcançado. Nessa nova fase, demonstramos que a alexandrita é sensível a radiação ionizante (beta) e apresenta um comportamento linear entre a dose de irradiação e a intensidade da luminescência emitida. A pastilha de alexandrita demonstrou ser um promissor detector para dosimetria, podendo atuar em baixas doses, por exemplo na área de saúde; e em altas doses, por exemplo em dosimetria retrospectiva de desastres nucleares. No momento estamos investindo em outros tipos de radiações, como raios-X.”

Matheus Cavalcanti, além da participação no projeto de pesquisa, tem feito a divulgação do projeto em diversos congressos. Por exemplo, alguns desses resultados do artigo também foram apresentados em 2019 no Encontro de Outono da Sociedade Brasileira de Física, maior congresso de Física do país, quando recebeu o prêmio de melhor trabalho área de Física Médica (https://spo.ifsp.edu.br/destaques/1850-alunos-do-ifsp-participam-do-maior-encontro-de-f%C3%ADsica-do-brasil-e-recebem-pr%C3%AAmio). Prof. Trindade também comentou sobre o discente “Matheus começou a trabalhar comigo em 2018 com a bolsa institucional PIBIFSP. No final de 2018 foi aprovada a bolsa da FAPESP* por 1 ano, e renovada por mais 1 ano no final de 2019. Matheus tem se empenhado bastante na pesquisa, esse já é o terceiro artigo dele, e sendo um aluno em final de curso, tem um grande potencial para fazer mestrado no próximo ano, podendo estudar em boas universidades no país ou até mesmo no exterior”.

O artigo pode ser encontrado no link: https://doi.org/10.1016/j.jlumin.2020.117479


*Essa pesquisa tem apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), processos números # 2018/16894-4 e #2019/05915-3.

registrado em:
Fim do conteúdo da página